Livro da vez: Extraordinário

Depois de ficar só lendo críticas e críticas excelentes sobre esse Extraordinário livro, finalmente o comprei e ainda forcei minha vó tirar uma foto minha com o livro.

a foto que minha vózinha tirou de mim *-*, não é só o August que é extraordinário

a foto que minha vózinha tirou de mim (eu fiquei horrivel mas que vale a intenção) *-*, não é só o August que é extraordinário

 

Já gostei muito da diagramação e do jeito que o livro é, então nem preciso dizer que haverá uma resenha positiva.

Enfim, a sinopse do livro aí em anexo:

August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso ele nunca frequentou uma escola de verdade… até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.

Narrado da perspectiva de Auggie e também de seus familiares e amigos, com momentos comoventes e outros descontraídos, Extraordinário consegue captar o impacto que um menino pode causar na vida e no comportamento de todos, família, amigos e comunidade – um impacto forte, comovente e, sem dúvida nenhuma, extraordinariamente positivo, que vai tocar todo tipo de leitor.

E aí, quem já leu? O que vocês acharam?

 

Anúncios

Resenha: Eu sou o número Quatro

Depois que li Divergente busquei um livro com a mesma dinâmica de aventura e tal. Daí fui vender uns livros no sebo e acabei pegando vale e comprando o livro “Eu sou o número Quatro”.
A história gira em torno do número Quatro, que era o quarto entre nove crianças que sairam de seu planeta natal, Lorien, para se refugiar aqui na Terra dos Mogodorianos que eu não sei por quê da dissiminação de Lorien, acho que era porque lá era ricos em recursos, enfim né.
E ai o feitiço dizia que os Mogodorianos ao matar essas nove crianças teria de ser em ordem numérica se estivessem separados, e desses já três morreram, imagina o número Quatro que desespero?!
Ai ele vai pra Ohio, estuda, tem sua vidinha lá e bem, não vou contar a história toda né? Afinal isso é uma resenha.
Eu achei o livro com história íncrivel, aliás quem fez minha cabeça foi a moça da livraria, mas ela foi mal aproveitada. A leitura fica massante em certos momentos da narrativa, o número Quatro parece um troglodita que não sabe se expressar muito bem com as pessoas além de Henri, seu cêpan, o que é um erro grande de nosso autor.
Se o número quatro veio para cá, e se mudou vinte e uma vezes, já era pra ele estar socializado com o jeito dos humanos e falar mais normal né?
Enfim, não tive muito entusiasmo para continuar a ler a série, quem sabe no futuro continue.
Nota: ☆☆

image

Livro da vez: Divergente

Para quem tá sentindo algum déficit de sagas porque já leu todas que tem na livraria, o livro Divergente da autora Katherine Roth é uma boa pedida.
Eu ainda estou no meio do livro mas estou achando o livro encantador, sem mocinhas chatas, romances chatos, aventurinhas bobas, pelo ao contrário, o livro é bem dinâmico e quando você vê já leu cinco capítulos em pouco tempo.

O livro conta sobre uma garota chamada Beatrice Prior que vive numa Chicago futurista, uns cem anos depois dos dias atuais, e a sociedade é dividida em cinco facções -Audácia, Abnegação, Amizade, Erudição e Franqueza-, cada uma culpa um fator pela desordem mundial.
Nossa protagonista até seus desesseis anos viveu na facção Abnegação com seus pais, porém como todo jovem com sua idade, tem que fazer um teste para a facção que  para ver qual ela realmente pertence mas Beatrice não é como os outros adolescentes, o teste não funcionou para ela, então ela é uma Divergente e pessoas assim são uma ameaça e ai eu não posso mais continuar se não perde toda a graça!

image

Quem se interessou? Comenta ai em baixo e quem já leu, o que achou?

Bisos!