Resenha: Eu sou o número Quatro

Depois que li Divergente busquei um livro com a mesma dinâmica de aventura e tal. Daí fui vender uns livros no sebo e acabei pegando vale e comprando o livro “Eu sou o número Quatro”.
A história gira em torno do número Quatro, que era o quarto entre nove crianças que sairam de seu planeta natal, Lorien, para se refugiar aqui na Terra dos Mogodorianos que eu não sei por quê da dissiminação de Lorien, acho que era porque lá era ricos em recursos, enfim né.
E ai o feitiço dizia que os Mogodorianos ao matar essas nove crianças teria de ser em ordem numérica se estivessem separados, e desses já três morreram, imagina o número Quatro que desespero?!
Ai ele vai pra Ohio, estuda, tem sua vidinha lá e bem, não vou contar a história toda né? Afinal isso é uma resenha.
Eu achei o livro com história íncrivel, aliás quem fez minha cabeça foi a moça da livraria, mas ela foi mal aproveitada. A leitura fica massante em certos momentos da narrativa, o número Quatro parece um troglodita que não sabe se expressar muito bem com as pessoas além de Henri, seu cêpan, o que é um erro grande de nosso autor.
Se o número quatro veio para cá, e se mudou vinte e uma vezes, já era pra ele estar socializado com o jeito dos humanos e falar mais normal né?
Enfim, não tive muito entusiasmo para continuar a ler a série, quem sabe no futuro continue.
Nota: ☆☆

image

Anúncios